kingtimberlake:

"I never told anybody that story" - Justin Timberlake

First Look: All-New Season of ’Oprah’s Master Class’. [x]

(via pop-president-justintimberlake)


Photo postado em 15/04/2014 às 10:55pm | 409 notes | (reblogue this!)

#Fanfic “That Girl”- Justin Timberlake

Tirei meu celular do bolso, desesperado e liguei pra uma ambulância. Marissa chorava convulsivamente enquanto eu segurava a cabeça de Lana com as mãos, apoiando-a sobre minhas pernas. Rezei todas as preces imagináveis, implorando pra quem quer que estivesse me ouvindo, que não a deixasse morrer. Logo os paramédicos chegaram e a levaram. Marissa a acompanhou e eu segui de carro até o hospital, desnorteado, com o pensamento nela…

Entrei procurando por Marissa e a encontrei sentada na sala de espera.

- Onde ela tá?- perguntei aflito.

- Levaram… Levaram ela pra UTI- Marissa só chorava- O médico disse que ela tá mal e que logo virá nos informar sobre ela. To com tanto medo…

- Eu também- a abracei tentando acalmá-la.

-Tenho medo de que ela morra- ela tapa a boca com a mão, chorando.

- Marissa, por favor- peço sentindo meus olhos lacrimejarem- Não tenho ninguém e você precisa me ajudar, precisamos nos apoiar ou não sei o que vai ser de mim- peço a ela.

- Me perdoa, eu sei que não deveria falar essas coisas, sou uma idiota- ela engole o choro, secando as lágrimas- Lana vai ficar bem…

Ficamos ali por quase duas horas e nada. Duas longas e intermináveis horas sem qualquer noticia. Era desesperador, quase desumano. Eis que surge um dos médicos e seguro forte a mão de Marissa, ambos ansiosos pra saber dela.

- Vocês são parentes de Lana Rodriguez?

- Sou o marido dela- me adianto- Como ela está? Nos diga, por favor…

- Lana não está bem, o câncer evoluiu, mas temos que aguardar uma melhora pra que possamos tentar outro tipo de tratamento. Vamos aguardar até amanhã e ver como ela reage. Qualquer mudança, volto a falar com vocês- ele dá um tapa amigável em meu braço e sai.

- Não entendo, como assim o câncer evoluiu? Lana vinha a todas as sessões…- digo tentando achar uma explicação lógica.

Marissa me olha com pena, escondendo algo do qual ela já sabia.

- Assim que Lana foi levada pra UTI o médico veio falar comigo- começa sem saber bem como me dizer- Me disse que o tratamento não fez efeito e que ela sabia. Lana sabia o tempo todo e por isso tava te evitando, me jogando em cima de você… Ela sabia que não tinha se curado, que foi tudo em vão.

Agora tudo fazia sentido, todas as atitudes que ela vinha tomando ao longo desses dias. Lana pensava que seria mais fácil nos afastarmos aos poucos, que seria menos doloroso do que ser tirada de mim repentinamente.

Continuamos ali, calados, unidos pela espera incansável. Por fim, fomos até a lanchonete tentar comer alguma coisa.

- To sem fome- Marissa empurra o copo de suco dando um leve sorriso de cansaço- Posso te perguntar uma coisa?

Assenti para que ela prosseguisse.

- Você a ama? Me diz com toda a sinceridade, o que sente por ela?

A pergunta não me pega de surpresa dessa vez. Eu sempre soube o que eu sentia por ela, desde o começo!

- Eu a amo, muito! Mais do que pensei que fosse capaz de amar alguém um dia. Não quero que ela…- não termino a frase e coloco para fora toda a tristeza e angustia guardadas nas ultimas 24 horas- Me matou o modo como ela me vinha me tratando, com indiferença, mas agora eu sei que ela fez tudo isso pra me proteger, pra me livrar de toda a dor…

- Lana é a melhor pessoa que já conheci- Marissa diz- Não tem ninguém como ela. Lana é doce, meiga, com um grande coração e uma alma pura. Sei que ela te ama desde o dia em que te conheceu e deve ter sido muito triste pra ela ter que te manter afastado te amando tanto.

- Eu vou fazer o que for preciso pra mantê-la a salvo, não duvide disso- prometo á ela, segurando sua mão- Lana não vai nos deixar Marissa, porque eu não vou deixar ela ir!

Terminamos de comer e voltamos para sala de espera. Mais algumas horas se passaram e já era tarde quando vieram nos avisar que Lana tinha ido pro quarto. Consegui que Marissa também pudesse passar a noite com ela, assim como eu. Eu jamais sairia do lado dela! Entramos no quarto e um dos médicos nos aguardava.

- A pesar da melhora significativa, ela irá continuar sedada- nos diz- E é preciso informá-los que Lana precisará de um transplante de medula óssea em caráter emergencial. Realizamos os exames e infelizmente ela não é compatível com nenhum dos doadores do nosso banco de dados, sinto muito.

- Então não tem jeito, é isso? Marissa se altera- Lana vai morrer?

- Não posso precisar o que irá acontecer daqui pra frente- nos explica- O que temos que fazer agora é esperar por um doador ou assim que ela tiver alta, tentar outro tipo de tratamento. Mas o transplante é o mais indicado no caso dela.

- Quero fazer todos os exames. Quem sabe eu possa…

- Eu também- Marissa diz- Também vou fazer.

- Não existe ninguém na família que possa ser um doador em potencial?- ele pergunta.

- A mãe de Lana, mas não sei como encontrá-la. Lana não tem nenhum Parente, nem irmãos, ninguém.- Marissa responde.

O médico pede que o acompanhemos e nos leva até uma pequena sala. Pequenas amostras de sangue são retiradas. Nunca, em toda a minha vida, coloquei tanta fé em algo, como se minha vontade de salvá-la e meu amor por ela fizessem com que aquele sangue confirmasse minha compatibilidade, num passe de mágica!

O médico se retira e voltamos pro quarto. Sinto um nó na garganta ao vê-la ali, tão indefesa e vulnerável, como se a morte estivesse pronta pra leva-la a qualquer momento.

- Precisamos achar um doador- Marissa diz- Vou até a capela rezar- diz e sai me deixando a sós com Lana.

https://www.youtube.com/watch?v=Sm3Fm0sG8P8

Cheguei perto da cama onde ela estava e fiquei olhando pra ela. Lana era linda! Meu coração batia descompassado sabendo que eu poderia perde-la, para sempre…Eu a amava com toda minha alma! Sentei na cadeira próxima á ela e peguei levemente sua mão, segurando-a entre a minha.

- Lana, eu te amo- disse num sussurro- Eu sei que pode me ouvir e eu sinto muito por… Não vou te deixar, nunca! Vamos ter dois ou três filhos, você pode escolher os nomes. O que acha de Scarlet? Jennifer? Tyler? Vamos ficar juntos Lana, você não pode me deixar, não vou te deixar ir…- não me controlo mais e choro.

Fico ali, alisando seu cabelo devagar, implorando a Deus que não a tire de mim. Tínhamos tanta coisa para vivermos juntos, não era justo que eu tivesse que viver sem ela… Sinto-a apertar minha mão devagar, quase que imperceptivelmente. Lana abre um pouco os olhos e sorri pra mim.

- Você tá aqui…- me diz sem forças.

- Vou ficar aqui o tempo todo- beijei sua mão demoradamente- Eu te amo!- disse novamente pra que ela escutasse.

- Também- sorri de novo, fracamente- E se eu não conseguir… Se eu me for, minha vida não terá sido em vão porque eu tenho você -vejo lágrimas brotarem em seus olhos- Obrigada por tudo, meu amor!- ela aperta minha mão mais forte dessa vez.

- Você não pode me deixar, não pode me deixar aqui- falo entre o choro- Fica comigo, Lana, por favor… Não desista, você não pode desistir…

- Você já fez tudo o que podia por muito, muito mais do que deveria. Não se culpe por nada se for da vontade Dele que…

- Não fala isso- coloco o dedo sobre sua boca, impedindo-a de continuar- Vamos ficar juntos, vamos passar o resto dos nossos  dias juntos!

- Vai pra casa- Marissa entra no quarto- Eu fico com ela.

- Marissa tem razão, você precisa descansar um pouco- Lana diz fechando os olhos.

Dei um beijo em sua testa e saí. Entrei no carro e fui pra casa, mas não conseguir dormir. Eu precisava fazer alguma coisa, era impossível pensar em descansar quando ela precisava tanto de mim… Peguei meu notebook e fiquei olhando para tela recém aberta, esperando que algo acontecesse. Pesquisei em vão durante um tempo, sem saber bem o que procurar ou a quem recorrer.

Abri meu Twitter e havia dezenas de fãs perguntando a mesma coisa, querendo saber como Lana estava, desejando melhores, preocupados com a saúde dela… E então a ideia surgiu como um raio em minha mente!

Por Lana

- Já me sinto melhor- digo me sentando na cama.

- Mas ainda precisa ficar aqui- Marissa me dá uma bronca- Nem pense em se levantar!

- Pode ir para casa, não precisa ficar aqui- digo a ela. Seu cansaço era notável depois de quase dois dias sem dormir.

- Não, vou esperar ele chegar e depois eu vou. Não vou te deixar sozinha!

- Vá comer alguma coisa então, eu to bem. Não vou morrer em 10 minutos aqui sem você- disse e me arrependi vendo o duplo sentido da frase.

- Tá, já volto, é rápido!- Marissa me lançou um beijo no ar e saiu.

Eu me sentia melhor, mas a pesar de ninguém me dizer, eu sabia da gravidade do que eu tinha e de certa forma, me sentia preparada pro que tivesse que acontecer. Achar um doador seria algo quase impossível! Passei um tempo analisando minha vida e conclui que tinha sido mto boa. Marissa era como minha irmã e me sentia segura com ela. E Justin era meu príncipe, minha vida. Eu o amava de todo o coração!

- LANA, VOCÊ TEM QUE VER ISSO!- Marissa entra apressada, histérica, me tirando dos meus pensamentos. Ela pega o controle e liga  a TV.

Palavras não saberiam expressar o que vi. A demonstração de empenho, fé, esperança, mas sobretudo de amor, me fizeram ama-lo ainda mais… Havia uma fila grande, dando voltas em vários quarteirões ao longo do hospital onde eu estava. Justin tinha feito um apelo aos fãs para que viessem e quem sabe então, eu poderia ser salva!

- Não é coisa mais linda que você já viu?!- Marissa me disse chorando.

Assenti colocando as mãos no rosto. Eu jamais saberia como agradecer, como ser grata a todas aquelas pessoas, mas principalmente a ele…

- Vamos conseguir!- Marissa me dá a mão e a segura forte contra o peito.

Por Justin

Me surpreendi ao ver o tanto de pessoas dispostas a ajudá-la! Nunca pensei que um numero tão grande de pessoas fossem se comover e se solidarizar. Íamos conseguir, eu sabia que sim, tinha fé nisso! E exatamente por isso é que coloquei aquelas mensagens em todas as minhas redes sociais, dizendo o quanto Lana era especial, o quanto a amava e o quanto ela precisava e merecia ser ajudada…

A noticia logo se espalhou e repercutiu no mundo. Milhares de pessoas, de outros países até, prestando solidariedade e mensagens de esperança. Era maravilhoso! O mundo precisava saber sobre Lana, sobre o ser humano iluminado que ela era!

Entrei com dificuldade pelas portas do fundo do hospital. Muitos paparazzi estavam até mesmo ali e foi difícil passar por eles. Entrei no quarto e não disse nada, fui até ela e a abracei!

- Não acredito, não dá para crer no que você fez, sério- Lana me disse e vejo um fio de esperança em seus olhos, brilhando!

- Também to surpreso, não esperava que fosse algo tão grandioso- confessei á ela- Tenho fé que vamos encontrar alguém!

- Boa noite- o médico bate á porta- Lana, você é a única que faz as pessoas fazerem fila em um lugar onde muitas jamais desejariam estar!- ele brinca.

Rimos diante da brincadeira. Eram raros os momentos em que a via rindo, assim como Marissa e eu. A preocupação tomava todo o nosso tempo.

- Já coletamos algumas amostras de sangue e cadastramos algumas pessoas- ele continua- É ótimo que tanta gente venha até nós e se mostre com disposição para ser um possível doador. Mas receio que teremos que descartar todas elas, pelo ou menos pra você, Lana!

Nos entreolhamos e ninguém ali havia entendido.

- Como?- Marissa pergunta, como se o próprio médico estivesse louco.

- Já achamos um doador!- ele sorri pra nós.

- Acharam um doador?- repeti a pergunta com medo de que não estivesse escutado bem.

- Sim, achamos- ele volta a sorrir- Lana, quem é a pessoa que você mais ama?- ele pergunta á ela.

Lana começa a chorar convulsivamente, afundando o rosto entre as mãos. Marissa me olha perplexa, como se tivesse visto um fantasma ou algo do tipo.

- Suponho que você esteja disposto a salvá-la, não?- o médico se dirige a mim- Acredito que seja um milagre que justamente você, Justin, seja o doador compatível entre 100 mil pessoas!

Minhas pernas não me obedeciam. Tive que me sentar na cadeira e tentar processar a informação. Era um milagre, só podia ser. Não havia outra explicação. Tentei não chorar, mas foi impossível. Não tive vergonha em demonstrar o quão feliz eu estava e deixei as lágrimas caírem.

Notei que ambos saíram e me deixaram a sós com ela. Lana me olhava com tanto amor, como se soubesse o tempo todo que somente eu seria capaz de salvá-la! Me aproximei dela e nos abraçamos forte, chorando, unidos pelo mesmo sentimento de felicidade!

- Foi Deus quem te mandou pra mim- ela beija meu rosto repetidamente- Obrigada!

Eu não conseguia falar, um nó em minha garganta me impedia. Eu sentia como se tivessem tirado um peso das minhas costas! Deitei na cama ao lado de Lana e fiquei ali, ambos sem dizer nada. Não era preciso palavras pra entender o que sentíamos naquele momento!

 


Photo postado em 15/04/2014 às 9:17pm | 3 notes | (reblogue this!)

Pictures of Justin Timberlake - [38-43 /∞]

(via datjustintimberlakedoe)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:14am | 87 notes | (reblogue this!)

yoshi413:

Justin talking about the positives of starring in Yogi Bear | Lopez Tonight (2010)

[x]

(via datjustintimberlakedoe)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:14am | 107 notes | (reblogue this!)

yoshi413:

Every time Justin smiles it’s a Priceless Surprise <333 | #JT2020Tour @ Birmingham, England | LG Arena  [x]

(via datjustintimberlakedoe)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:13am | 145 notes | (reblogue this!)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:10am | 651 notes | (reblogue this!)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:10am | 127 notes | (reblogue this!)

kingtimberlake:

The 20/20 Experience World Tour |The LG Arena | Birmingham, UK | April 11, 2014

(Source: KingTimberlake, via datjustintimberlakedoe)


Photo postado em 14/04/2014 às 2:09am | 147 notes | (reblogue this!)

#Fanfic “That Girl”- Justin Timberlake

1 mês depois.

O pedido de Lana se realizou! Seu cabelo não caiu, nem um fio sequer… Agradecia todos os dias por isso, por não ter que vê-la sofrer novamente. Meus dias estavam corridos e então deixei de ir com ela ás sessões de quimioterapia. Marissa ia, mas Lana não a deixava entrar, dizendo que estava tudo bem, que não era mais necessária sua presença e muito menos a minha.

Nossa relação não ia bem apesar de todas as minhas tentativas. Eu não media esforços pra agradá-la, a tratava com carinho, dizia que a amava, mas Lana parecia ter colocado uma barreira entre nós, como se tivesse enjoado e desistido de ser minha… Isso me machucava muito, me deixava extremamente triste e abalado, minha auto estima jogada no chão…

- Quer dar uma volta?- entro no quarto e a convido- Só eu e você..

- Não, obrigada- ela continua lendo o livro e mal me olha- Vai você. Não vai achar ruim, né?!

Me aproximo e sento ao seu lado na cama. Erámos como dois estranhos agora, muito mais do que quando nos conhecemos.

- Sinto sua falta- alisei seu braço delicadamente. Já fazia um bom tempo que nós não ficávamos juntos.

- Não vai pro estúdio hoje?- ela muda bruscamente de assunto, como se não tivesse me ouvido anteriormente.

- Não, não vou- me levanto- Queria sair com você, mas tudo bem, vou lá para sala então.

- Tá- ela responde sem me dar tanta atenção.

Fecho a porta e saio, sem rumo e uma imensa vontade de voltar até lá e… O brilho de Lana parecia ter se apagado totalmente, nenhum resquício de luz, apenas preto e branco!

Vi um pouco de TV e fiquei o resto da tarde fora de casa, rodando de carro por aí, organizando meus pensamentos e tentando tomar uma atitude sensata e definitiva sobre tudo. E eu ia tentar novamente, mais uma vez e de novo e de novo… Quantas vezes fossem necessárias até eu entender tudo…

No caminho de volta, passei em uma joalheria e comprei uma pulseira pra Lana.

image

Cheguei um pouco tarde e ambas já estavam jantando. Me sentei a

mesa com elas, colocando o embrulho em cima da mesa, discretamente. Lana me olhou séria, abriu e ficou olhando demoradamente sem dizer nada. Tirei da pequena caixa e coloquei em seu braço, sorrindo.

- Nossa, que coisa mais linda!- Marissa disse espantada.

- É sim, obrigada- Lana me agradece sorrindo forçado e volta a comer.

Marissa e eu nos entreolhamos, ela completamente sem jeito diante da  atitude de Lana.

- Vamos sair hoje a noite?- convido-as mudando o assunto- Podem escolher o lugar!

- To a fim de uma boate, faz tempo que não vamos e eu amo dançar!- Marissa se anima- Podemos ir?- pergunta esperançosa a Lana.

- Não me sinto bem, to com dor de cabeça- ela mente- Mas podem ir, vão vocês. Não se prendam á mim, vou ficar bem aqui!

Era estranho e absurdo o modo como ela estava tentando jogar Marissa pra cima de mim e não era a primeira vez. Lana foi pro quarto e Marissa e eu fomos pra sala. Abrimos uma cerveja e ficamos conversando.

image

- Eu acho que você deveria insistir- me diz.

- Não sei mais o que fazer- digo em tom de derrota- Não entendo isso de ela querer que eu saia com você, não faz sentido…

- É estranho mesmo. Ela não comentou nada comigo e quanto toco no assunto, ela desconversa, nem me deixa falar…

- To a fim de sair, não quer ir?!- pergunto a ela.

- Vou, mas queria que Lana também fosse, você sabe, pra gente se divertir, faz tempo que não saímos os três juntos…

- Vou falar com ela. Quem sabe eu não a convenço?!

Marissa sai e vou pro quarto me arrumar. Lana se tranca no banheiro assim que eu entro, me evitando … Quase uma hora depois, já estava pronto. Permaneci ali, olhando-a se maquiar.

- Precisamos conversar- olho pra ela e vejo ela prestar atenção em mim.

- Pode dizer!

- O que tá acontecendo? O que aconteceu entre nós que nós distanciou, Lana?!- pergunto sem meias palavras.

- Não aconteceu nada- ela finge não entender, rindo nervosamente.

- Por que tá me tratando assim – vou até ela- Por que tá me rejeitando? – falo próximo á sua boca- Preciso tanto de você…- beijo vagarosamente seu pescoço e ela não se afasta.

- Não, por favor- me empurra devagar- Por favor, não volte a fazer isso!

- Me diz o que tá havendo, por favor- imploro-  Não suporto mais e isso tá acabando comigo, Lana…

Ela para e pensa durante alguns segundos, medindo as palavras a serem ditas, escolhendo-as.

- É só que… Eu não gosto mais de você, não como antes- diz olhando fixamente para mim, como se isso a ajudasse a acreditar na própria mentira.

- É mentira e você sabe disso- rebato- Não é verdade.

- É verdade- ela se vira, dando as costas para mim- Foi tudo um engano, sempre foi. Eu pensei que o que eu sentia por você fosse amor, mas não, não passa de gratidão e carinho, mas não é amor.

- Para de mentir- começo a rir- Porque tá mentindo agora e pra mim?!- pergunto.

- Não to mentindo- ela insiste- Justin eu… Eu ainda amo meu ex, o Miguel, temos nos falado e percebi que sempre o amei, me perdoe…- lágrimas escorrem pelos seus olhos.

- Não acredito- altero um pouco a voz- Miguel, sério? ENTÃO POR QUE TÁ CHORANDO LANA, POR QUE ME FEZ ACREDITAR QUE ME AMAVA, QUE EU ERA O ÚNICO?

- PORQUE EU PRECISAVA DE VOCÊ, PRECISAVA DA SUA AJUDA E PENSEI QUE SERIA O MELHOR A FAZER, MAS NÃO- ela grita- EU TE USEI E ME ODEIO POR ISSO!

- Me usou?- lágrimas rolam pelo meu rosto e a decepção me invade- Continue mentindo, anda! Era mentira quando me beijava, quando se entregava pra mim, quando fazia amor comigo?

- Nunca vou amar ninguém como eu o amo- Lana diz e sinto uma bofetada imaginária arder contra o meu rosto- Me odeie se quiser, vou entender. Me perdoa por tudo, mas não sou quem você acha que sou, você não me conhece…

- Pode passar o resto da vida tentando se convencer disso, mas ambos sabemos que nada disso é real, nada do que você diz  – digo a ela- Vou te salvar de todas as formas que eu puder, até de você mesma se for preciso…

- Eu sinto tanto…- Lana diz chorando- Me perdoa, por tudo, por ser egoísta e ter me aproveitado de você, da sua bondade, do seu amor…

- Essa não é você, não é quem você é- a encaro segurando-a e obrigando-a a olhar pra mim- Eu mereço tudo isso? Pare e pense, Lana. Mereço ser tratado com essa indiferença, como se eu não fosse um nada? A única coisa que fiz foi amar você, mais do que tudo…

- Para, por favor- ela tapa os ouvidos com as mãos, fechando os olhos fortemente.

- Não sei por que tá fazendo isso, não entendo- coloco as mãos na cabeça- Isso dói, Lana, dói muito… Mas se é assim que você quer que termine, vou aceitar, Vou aceitar por que já não sei mais o que fazer pra te ter de volta. Você vai conseguir conviver com isso, com a culpa de ter me rejeitado, de ter desistido do que sentimos? Eu te amo, mas não posso mais…

- Aonde vai?- me pergunta ao me ver saindo do quarto.

- Vamos sair, estamos te esperando. Não estrague a noite da Marissa, pelo ou menos não a dela. Ela quer muito que você vá…

Saio do quarto desnorteado, o chão fundando sob meus pés. Nada mais importava, nada mais valia a pena. O sofrimento tomando conta de mim por completo… Eu ia desistir, precisava desistir. Não havia mais nada que eu pudesse fazer.

Por Lana

O vi saindo e minha vontade era correr atrás dele, mas não o fiz. Era melhor assim, será mais simples e menos doloroso pra nós dois. Me sentia vazia, incompleta, infeliz… Terminei de me arrumar e fui até a sala. Marissa me olhando de um jeito estranho, tentando decifrar o que se passava dentro de mim. Entramos no carro e seguimos até uma boate da qual nem reparei no nome.

Nos sentamos numa mesa e Justin foi pegar algumas bebidas, nos deixando sozinhas.

- O que é que tá acontecendo, hein?!- Marissa me cutuca, preocupada.

- Nada- respondi sem dar atenção á ela.

- Como nada? Você tá jogando ele pra cima de mim o tempo todo e diz que não é nada?- me acusa.

- Marissa, por favor- tento desconversar.

- Por favor nada!- Olha, se você não o quer mais, tudo bem. Mas não tente me envolver nisso, ok?! Ele é lindo, maravilhoso e perfeito, mas é seu! Não vou trair a nossa amizade, tá ouvindo? Isso vem em primeiro lugar, então pare de tentar juntar a gente!

- Tudo bem, se… Se quiser ficar com ele, de verdade- sinto um aperto no peito.

- Ah, para com isso- ela ri- Tá maluca?! Não venha me dizer que não se importa porque eu te conheço mais do que você mesma e sei que você jamais vai amar alguém como o ama. E pode me contar o que tá acontecendo, to esperando…- ela cruza os braços, me analisando.

- Não o amo mais, só isso- dei de ombros.

- Tá bom, faça como quiser, eu não ligo!- ela se levanta da mesa- Não volte a falar comigo até decidir me contar. Exijo que me diga! Ou será que essa merda de amizade também é uma mentira?- ela me deixa sozinha.

Continuo sentada e noto um cara me olhar insistentemente. Ele se aproxima e senta ao meu lado na mesa.

- Muito prazer, sou o Ian!

Por Justin

Me viro e a vejo conversando com aquele cara. O jeito como ele olhava pra ela, com malícia, era demais pra mim. Lana sorria timidamente, incomodada com a situação. Tomei outro gole de whisky e sem pensar duas vezes, fui até eles.

- Lana, vem, vamos dançar!- estendi a mão á ela.

Ela ficou parada, me olhando e não se moveu.

- Vou dançar com o Ian- ela se levantou e saiu com ele rumo á pista de dança.

Me sentia extremamente mal de vê-la ali, com ele. Enchi o copo e bebi de uma só vez.

- Quem é aquele ali?- Marissa senta ao meu lado, chocada tanto quanto eu.

- Ian- ri sarcasticamente.

- Ian quem?- ela olha pra ele, tentando reconhece-lo- O que a Lana tá fazendo com ele?

- Não sei, Marissa, não sei- me altero, deixando a raiva transparecer- O que eu fiz de errado? Me diga, por favor…

- Você não fez nada de errado- ela segura minha mão- Lana tá confusa, com medo, perdida… Ela te ama, conheço ela e sei que ela te ama demais!

Me levantei, fui até a pista e me aproximei dela.

- Preciso falar com você- toco seu braço- Por favor…

- Ela tá comigo- O tal Ian se intromete.

- Não tá não- sorrio- Sou o marido dela!

Ele sai e nos deixa sozinhos em plena multidão.

- Por que você dança com ele e comigo não? – pergunto á ela- Quando foi que passou a me odiar tanto a ponto de preferir ficar com um desconhecido do que comigo, Lana?

- Não odeio você, não…- diz e vejo sinceridade. Aquele olhar dizia que ela me amava!

Por Lana

https://www.youtube.com/watch?v=p228DkiJAx0

(vejam a tradução no vídeo)

Justin me deixa ali, sozinha. Eu não o odiava, nunca poderia odiar. Me dilacerava por dentro o que eu estava fazendo. Dançaria com ele o resto dos meus días se eu pudesse, se fosse faze-lo feliz… Fiquei olhando aquelas pessoas, sem saber o que fazer, perdida.

- LANA, LANA!- escuto Marissa me gritar- VEM COMIGO!- me pega forte pelo braço.

- Marissa, espera…- tento não correr.

- PARABÉNS, VOCÊ CONSEGUIU!- ela bate palmas na minha cara.

Se existe dor, então aquilo era a dor propriamente dita. Sentia meu peito rasgar por dentro, eu só quería sair dali e morrer. Era bem melhor do que tudo. Justin estava beijando uma mulher, beijando do jeito como me beijava, com aquele beijo que era meu, que eu julgava e desejava que fosse somente meu!

Abaixei os olhos e lágrimas desceram pelo meu rosto. Eu não quería ver, não mais. Doía muito.

“Vou encontrar uma maneira, de construir um mundo longe da dor. Vou encontrar um jeito de te manter seguro até o fim dos tempos”

- OLHA. OLHA!- Marissa gritava comigo.

- Para, por favor…- consegui dizer em meio ao choro.

E então ele olhou pra mim, com raiva, arrependimento e culpa… E voltou a beijá-la, varias vezes. Meu inferno era isso, ter que asistir dezenas de vezes, ser torturada mesmo sabendo que somente eu podía parar com tudo e faze-lo voltar pra mim…

“Nada nesse mundo vai me comover, eu nunca te abandonarei. Eu quero ver seu rosto e me esconder em seu despertar, contanto que você esteja comigo”

Meu corpo todo doía, cada parte de mim. Uma onda fria percorreu meu corpo e levei as mãos a cabeça, me apoiando na mesa, tentando não desmaiar. Minhas pernas não me obedeciam e fui caindo, lentamente…“Vou morrer”, pensei.

Ouvi Marissa gritar e bater contra meu rosto.

Por Justin

Era minha ultima tentativa. Ela tinha que ver, por mais que isso a magoasse. Eu tinha que faze-la entender, ver, sentir… Já tinha bebido um pouco além da conta e confesso que foi fácil beijá-la. Partiu meu coração ao ver como Lana sofria, como me implorava para que parasse coma quilo, que ela não merecia mais sofrer, já tinha sido o bastante.

De repente, vi Marissa  segurá-la enquanto ela caía. Corri até lá e a peguei no colo, colocando-a na poltrona mais próxima. Todo olhavam, preocupados. Decidimos levá-la para casa e se fosse necessário, até o hospital. Entramos no carro e corri o mais rápido que pude. Chegamos e a levamos até o quarto, ela não falava nada, ficava apenas imóvel.

- Lana- falei rente ao seu rosto.

- Eu vi… Vi você beijando ela…- me disse baixo, com a respiração fraca.

- Me perdoa, eu não quería..- respondi com um nó na garganta.

- Não tem problema- ela passa a mão pelo meu rosto- Eu quero que seja assim, quero que você seja feliz…

- Não fala nada- acariciei seu rosto- Tá sentindo alguma coisa?

- Só preciso.. Meu estômago, acho que vou…

Marissa segurou a cabeça dela enquanto ela vomitava.

- VAI EMBORA, SAI DAQUI, POR FAVOR- Lana começou a gritar, me empurrando com as mãos- TIRA ELE DAQUI, NÃO QUERO QUE ELE ME VEJA ASSIM…

- É melhor você sair, eu fico com ela- Marissa me pede.

Deixo o quarto, mas fico parado do lado de fora até que ela se acalme. Escuto Marissa gritar e entro depressa. Lana está jogada no chão, inconsciente. Minha cabeça gira, me levando pra um mundo a parte.

- ME AJUDA…- Marissa grita, me tirando do transe- NÃO DEIXA ELA MORRER, NÃO DEIXA!

“Lana vai morrer e a culpa é minha”, penso.

"Eu sei que você me ouve, eu te daria a minha vida, se ela te salvasse disso"


Photo postado em 12/04/2014 às 8:18pm | 1 note | (reblogue this!)
Tags:  FanFicThatGirl # Capitulo13 # Fanfics #

fuckyeah-jessicabiel:

yoshi413:

Justin talking about Jess’ booty! 

LOL Trace.. He kept repeating if she wasn’t your girlfriend.. But never got to finish his sentence

Where is the video of this?


Photo postado em 12/04/2014 às 7:00pm | 115 notes | (reblogue this!)

last 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 next